O que é esquizofrenia?

A esquizofrenia é um transtorno mental crônico, grave e incapacitante que acomete aproximadamente 1% da população. Suas causas ainda não são completamente conhecidas, mas se sabe da importância de alguns fatores, como a predisposição genética e o consumo de drogas.

O quadro geralmente se inicia em uma fase crucial do desenvolvimento, o período entre o final da adolescência e os primeiros anos da idade adulta, e o impacto sobre a vida familiar, social e profissional pode ser significativo.

O termo esquizofrenia origina-se do grego e significa “cisão da mente”. A progressiva desagregação psíquica causada pelo transtorno pode ser bem ilustrada através da vida e da obra do artista britânico Louis Wain (1860-1939).

Amante de gatos, Wain teve um considerável sucesso com suas imagens divertidas e humanizadas de felinos.

Entretanto, a Primeira Guerra Mundial fez cair a procura por seus trabalhos e o artista passou a enfrentar dificuldades financeiras. Na mesma época, surgiram os primeiros sintomas psicóticos e Wain foi declarado “insano” em 1924.

Durante a  sua longa permanência em hospitais psiquiátricos, Wain continuou a sua produção artística. Naquele tempo, o tratamento era muito limitado e pouco podia ser feito para evitar a piora da doença. O agravamento da psicose distorceu progressivamente a sua percepção da realidade e isso se refletiu em sua obra. O olhar hostil dos seus gatos revelava o quanto o mundo se tornou ameaçador. As cores ficaram aberrantes. As figuras, cada vez mais geométricas, abstratas e bizarras.

Quais os sintomas da esquizofrenia?

Quando em surto, os pacientes frequentemente apresentam sintomas assustadores e alterações comportamentais marcantes. Muitos ouvem vozes que os outros não conseguem escutar.  Alguns têm a certeza de que outras pessoas podem ler a sua mente, controlar seus pensamentos ou que estão tramando algo para prejudicá-los. Esses sintomas costumam gerar muito medo e os pacientes podem ficar extremamente agitados.

Em outros casos, o pensamento fica desorganizado, o comportamento torna-se bizarro e a fala, desconexa.

Paradoxalmente, o oposto também pode acontecer: alguns pacientes permanecem imóveis e calados por horas, aparentemente “desconectados” e “fora do ar”.

É perigoso conviver com alguém com esquizofrenia?

Ainda hoje, muitos temem os portadores de esquizofrenia por acreditarem que sejam violentos. Isso não passa de um mito – alimentado, inclusive, pela indústria do cinema. O risco de violência entre as pessoas com esquizofrenia é baixo, especialmente se os sintomas estiverem controlados.

Tratamento e novas perspectivas

A esquizofrenia é um transtorno grave e a chave para uma boa evolução é o diagnóstico e o tratamento precoces. O uso de medicamentos antipsicóticos e as terapias psicossociais visam, além do controle dos sintomas, a prevenção de novos surtos e a recuperação funcional.

Nesse sentido, os recentes avanços das neurociências trazem boas novas e histórias como a de Louis Wain se tornam cada vez mais raras: o conhecimento sobre a esquizofrenia cresce a passos largos e as opções de tratamento são eficazes, permitindo ao paciente uma vida produtiva e com mais qualidade.

Alguns filmes que abordam a esquizofrenia:

ESTAMIRA

Esse premiado documentário aborda a vida de Estamira, uma senhora de 63 anos que vivia e trabalhava em um aterro sanitário no Rio de Janeiro. Portadora de esquizofrenia, os seus sintomas se manifestavam de maneira crua e desconcertante. A toda a brutalidade imposta pela miséria e pela doença, o diretor conseguiu fazer um belo contraponto poético.

UMA MENTE BRILHANTE

Baseado na história do matemático John Nash, o filme retrata o seu sofrimento ao se ver envolvido em um estranho complô. Seria, de fato, mais um desdobramento da Guerra Fria ou tudo não passou de manifestações de uma mente em desequilíbrio?

Para saber mais, você pode consultar os livretos produzidos pela Associação Brasileira de Familiares, Amigos e Portadores de Esquizofrenia. É só clicar nas imagens!

Anúncios

Tags:, , , , ,

Categorias: PSIQUIATRIA

Autor:Pílulas de Insight

Médico psiquiatra e psicoterapeuta CRM 118.041 Mestrando na Faculdade de Medicina da USP Pesquisador do Núcleo de Epidemiologia Psiquiátrica da USP Professor da Sociedade Paulista de Psicanálise Bacharel em Comunicação Social Atendimento individual, de casal e de família Português - English - Español - Français Curriculum Vitae: http://lattes.cnpq.br/0995802665509848 geilson@pilulasdeinsight.com.br (11) 3262-1348 (PR) (11) 99477-3472 (PR, EN, ES, FR)

Acompanhe!

Você quer acompanhar o Pílulas de Insight?

Nenhum comentário ainda.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: